Muito se diz sobre a importância do yoga na vida de todas as pessoas, daquelas que praticam esportes ou não. O yoga proporciona benefícios físicos, emocionais e mentais para todos aqueles que o praticam! Ele é verdadeiramente transformador e não é nada por acaso, os gurus indianos sabem muito bem o que o asana (posturas) fazem nos níveis dos nossos sistemas, órgãos e até mesmo no nível celular (sem citar o nível energético que é rapidamente sentido por aqueles que praticam com regularidade).

Um dos meus gurus preferidos, que tem me ensinado todos os dias, através de seus livros, textos e de outros professores que perpetuam com o seu conhecimento, é o guru indiano B.K.S. Iyengar.

Iyengar possuía uma sensibilidade física, intelectual tão grande e precisa que podia sentir os efeitos dos asanas nos seus próprios órgãos internos!

E por que eu estou falando isso tudo? Pelo fato de que, antes de escrever este post, dei uma procurada pela internet sobre os benefícios do yoga para praticantes de esportes, sejam eles amadores ou profissionais, e o que eu encontrei foi mais do mesmo, aquilo que todos já sabem: que o yoga melhora seu controlo emocional, aumenta a concentração, desenvolve um raciocínio rápido, melhora a sua resistência e condicionamento físico. Tudo isso é verdade! Mas não me convence completamente do porque um esportista deve praticar yoga!

Portanto, trago aqui para vocês algumas informações dadas pelo Iyengar sobre a importância do yoga para você que pratica esporte.

Para começar, o Iyengar fala que embora a maioria dos esportes são competitivos, o yoga não.  Entretanto, ele é desafiador porque desafia a força de vontade da pessoa. Yoga nos convida a estarmos com nós mesmo, em linha com os nossos objetivos.

A maioria dos esportes são apenas exercícios físicos, que precisam de força e agilidade. Já a prática de yoga envolve movimentos que estabilizam o corpo, os sentidos, a mente e nos conduz à percepção consciente e à consciência em si.

Ainda segundo Iyengar, os médicos dizem que uma corrida leve estimula o coração, embora o ritmo cardíaco definitivamente aumente, ele não estimula o coração como o yoga entende, pois a corrida não aumenta o seu nível energético e o seu vigor. Causando assim, irritação ao coração. As retroflexões (asanas de extensão para trás) são fisicamente mais exigentes do que a corrida, mas o coração continua batendo de forma estável e rítmica.

A força e o vigor desempenham atividades distintas para que se atinja um equilíbrio perfeito em todas as partes do corpo e mente. Depois do yoga, o praticamente se sente revigorado e energizado, contrário de uma corrida, por exemplo, que causam perda de fôlego.

Atletas de alta performance, ou até mesmo amadores que estão começando algum tipo de treinamento, sentem a sensação de fadiga. Embora a circulação sanguínea aumente, os outros sistemas corporais entram em irritação o que intensifica a pulsação e a pressão do sangue. As reservas celulares se esgotam.

A capacidade pulmonar exigida em alguns esportes intensificam a sua capacidade podendo prejudicar sua saúde, diferente dos pranayamas que desenvolvem a capacidade pulmonar e previne de doenças que afetam o sistema imunológico. Sem citar as lesões musculares, ósseas e articulares que podem ocorrer durante um treino de esporte.

Mas calma! Não estou aqui colocando essas informações para você parar de praticar, mas estou convidando você a inserir a prática do yoga na sua rotina! Isso porque somente o yoga trabalha todas as camadas do corpo (físico, energético e mental) mantendo corpo e mente relaxados ao mesmo tempo que você pratica as posturas. Mantendo a elasticidade do sistema nervoso e a sua capacidade em lidar com o stress.

A prática do yoga reanima e energizam sem forçar as demais estruturas do corpo.

O que acha de introduzir um pouco dessa prática milenar no seu treino esportivo?

Bibliografia: Iyengar Yoga: Posturas Principais. Iyengar, B.K.S. ed Cores e Letras.

Deixe uma resposta