No início de 2016 ouvi alguém dizer que, de acordo com os astros, aquele seria um ano de término. Ciclos se fechando, conclusões de vários sentidos e junto com ele alguns relacionamentos estariam fadados ao fim.

Passaram-se os meses e, de fato, ouvi muitas histórias de separação. E no final do ano parecia que nunca houve tanta crise de como na época.

Curiosa por natureza sobre tudo aquilo que nos move em direção à realização pessoal, ouvi várias histórias de amigos próximos, outros não tão próximos e relembrei as minhas próprias de relacionamento.

E é nesse clima astrológico e místico, digo à você que teve seu relacionamento terminado que:

É possível trazer o seu amor de volta em 7 dias!

Atenção: desamarração forte!

Não, não tenho a pretensão de trazer o seu relacionamento furado de volta. Muito menos convencer você de que se manter no passado é a melhor opção.

Mas garanto que seguindo os passos que logo mais falarei, o amor mais importante da sua vida volta para você: o seu!

É impressionante a capacidade humana de se entregar num relacionamento com o outro e se divorciar de si mesmo. Perder um pouco o controle de si para encarar uma paixão é bonito e gostoso de viver, mas na maioria das vezes ficamos cegos e embarcamos tantas vezes em barcos furados, que nos perdemos completamente de nós mesmos.

E como cada um tem seu tempo, seus desejos e vontades distintas, quando o outro nos rejeita ou vai embora, perdidos de nós mesmos, simplesmente não sabemos mais voltar.

Mas por que partimos a princípio?

Quantas histórias conhecemos em que o casal estava feliz, cheio de planos e, de um dia para outro, um deles decidiu seguir outro caminho…

Então, aquele que ficou passa a se sentir um lixo: “o outro não me ama, eu nunca mais vou encontrar alguém que me ame igual”.

Parece familiar esse pensamento?

Pois bem, vamos aos passos:

Dia 1: Não se culpe!

A culpa talvez seja o maior obstáculo para a sua paz interior. Lembre-se de que você fez aquilo que parecia ser o certo e bom naquele momento.

Dia 2: Aceite-se como é de verdade.

Observe se você “se perdeu” de si mesmo no relacionamento. Uma das maiores violências não físicas que uma pessoa pode fazer à outra é impondo seu jeito de ser, não permitindo que o outro seja ele mesmo.

Vou falar algo que talvez te espante: ser quem você é de verdade talvez seja a coisa mais difícil que você vai fazer na vida. Vai ser necessário coragem, muitas vezes vai ter vontade de seguir a corrente, correndo o risco de perder-se novamente. Mas te pergunto: vale a pena abrir mão dos seus desejos mais genuínos?

Dia 3: Ame-se acima de todas as coisas.

Desde pequenos somos educados pela religião e nos metem na cabeça que é preciso amar ao próximo. Ok. Mas você já viu alguém com raiva de si mesmo, conseguir fazer algo bom para alguém? Comece por você.

Dia 4: Desapegue.

Hoje o esforço é desapegar de tudo aquilo que alimenta memórias do que te faz mal: foto, carta, mensagem, histórico de whatsapp, perfil do facebook. Apenas pare de investir energia no passado. Permita que novas energias fluam na sua vida.

É difícil desapegar das coisas materiais ainda? Comece então desapegando das opiniões alheias sobre o ex-relacionamento, expectativas suas e da família, dos padrões impostos.

Dia 5: Escolha de novo: escolha você!

Não importa se passou um tempão abrindo mão das suas vontades pelo bem de um relacionamento que não existe mais. Escolhe de novo. Você pode escolher de novo todos os dias, por isso a vida é tão maravilhosa. Hoje, escolha você! E perceba como é libertador e satisfatório fazer algo para você e mais ninguém.

Dia 6: Complete-se.

Esquece essa história de que o outro me completa. Você precisa ser inteiro e se apoiar por si só. Caso contrário, se o outro te soltar, você cai!

Osho diz:

Primeiro fique sozinho.
Primeiro comece a se divertir sozinho.
Primeiro amar a si mesmo.

Primeiro ser tão autenticamente feliz, que se ninguém vem, não importa; você está cheio, transbordando.

Se ninguém bate à sua porta, está tudo bem – Você não está em falta.
Você não está esperando por alguém para vir e bater à porta.
Você está em casa.

Se alguém vier, bom, belo.
Se ninguém vier, também é bom e belo

Em seguida, você pode passar para um relacionamento.

Agora você se move como um mestre, não como um mendigo.
Agora você se move como um imperador, não como um mendigo.

E a pessoa que viveu em sua solidão será sempre atraído para outra pessoa que também está vivendo sua solidão lindamente, porque o mesmo atrai o mesmo.

Quando dois mestres se encontram – mestres do seu ser, de sua solidão – felicidade não é apenas acrescentada: é multiplicada.

Torna-se uma tremendo fenômeno de celebração.
E eles não exploram um ao outro, eles compartilham.

Eles não utilizam o outro.

Em vez disso, pelo contrário, ambos tornam-se UM e desfrutam da existência que os rodeia.

Dia 7: Se for para se amarrar em alguém, que seja em você!

Você é a pessoa mais importante da sua vida. Você chegou nesse mundo sozinho e sairá desse mundo sozinho! Quando você entender isso, você estará aberto e pronto para se relacionar com o mundo de outra forma mais feliz!

Deixe uma resposta