“A meditação é o caminho do amor . A manifestação da alma no corpo.
A divina consciência iluminará. O puro caminho pra mente relaxar.
Sinta a vibração, entregue- se ao cantar. A imunização da energia natural.
Dá-me alegria, dá-me amor . Dá- me energia, dá-me paz e amor.”

(Semente Cristal)

Vivemos na Terra, e dela fazemos parte nesse Aqui e Agora. Tudo muda a todo o tempo e esse é o grande ensinamento da natureza: ela nos pede para fluirmos junto com ela, nos transformarmos. E as experiências da vida nos ensinam a seguir nossos caminhos.

Tudo o que acontece é uma oportunidade para caminharmos nessa fluência e, mesmo que tropecemos, balancemos ou mergulhemos em lugares profundos ou até mesmo escuros, cabe a nós mesmos direcionarmos nosso corpo-mente para a positividade, de maneira a nos erguermos e resgatarmos nossa paz.

Dessa forma, nós, como buscadores, temos a responsabilidade para com nós mesmos de aprender a lidar com nossos mecanismos internos e de nos aproximarmos daquilo que nos trará paz, segurança e alegria. E de nos afastarmos daquilo que pode nos desequilibrar e trazer desarmonia.

A consciência da importância do autodomínio e da responsabilidade é a chave para iniciarmos nossas meditações e também para adotarmos um estilo de vida mais livre, leve e presente. Aprendemos a meditar, aprendendo a aceitar que tudo se transforma. Deixando ir, e deixando chegar. Mesmo que, a princípio, as novas experiências, situações, pessoas ou convites não sejam tão agradáveis. Vamos desenvolvendo a poderosa virtude que Paramahansa Yogananda chamava de EQUANIMIDADE.

“A prova da sabedoria de uma pessoa é sua equanimidade. As pedrinhas que são jogadas no lago da consciência não devem fazer com que todo o lago entre em comoção.” (Yogananda, Paramahansa – Paz Interior)

 Os mestres ascensionados dizem que, para podermos acessar a consciência pacífica, é preciso que equilibremos os três aspectos divinos do Ser que devem ser cultivados a todo instante no coração:

a FÉ, a SABEDORIA, e o AMOR.

Eles são representados e regidos pelos raios azul, amarelo e rosa. Quando acendemos e mantemos essas chamas vivas, pulsando igualmente em nossos corações, temos a consciência do nosso Eu Sou, que é o nosso Eu Maior, Eu Superior.

Acendendo essas luzes internas, ganhamos a consciência de nossa chama trina e, a partir dela, podemos fortalecer a Paz e a Pureza em nosso interior: e essa é a quarta chama a ser mantida sempre forte – a branca. Esse é um estudo profundo e aparentemente subjetivo mas muito valioso e que pode nos auxiliar bastante a viver a meditação na prática.

O advento da meditação, do Yoga, da consciência universalista, do respeito às diferentes crenças, e a união de tantos jovens pela paz em encontros e celebrações para impulsionar a alegria, o amor e a fé estão transformando o mundo.

É importante que nos sintonizemos com esse momento maravilhoso de nossa humanidade, e lembremos de que fazemos parte da construção de nossa Nova Consciência que, apesar de nova, tem uma conexão plenamente fiel às sabedorias ancestrais.

Por isso estudos e metodologias como a Permacultura, o Dragon Dreaming, a Comunicação Não-Violenta, as Danças Circulares Sagradas, o Sagrado Feminino e Masculino, além do Yoga e da Meditação, estão sendo a cada dia mais valorizados e reconhecidos. Tudo isso tem o propósito de unificar mente, corpo, emoções espírito, e nos tornar mais próximos do que realmente somos: Seres de Luz.

 “Eu sou um outro você”. Era dito pelos Maias.

“Eu te vejo”, é o cumprimento dos zulus africanos. A resposta a essa saudação é “Estou Aqui.”Com os ancestrais, aprendemos a nos olhar e relembrar no agora a beleza que há na criação, que tem forma exclusiva em cada Ser.

Namastê é a saudação que relembra que em mim e em cada Ser há um centelha luminosa (ou divina) que me une ao outro e a todo o universo e que, independentemente de qualquer erro, apego ou manifestação do ego, eu recebo da vida todas as oportunidades para ser feliz.

Leia mais sobre o significado de Namaste aqui!

E a meditação é o caminho, o estilo de vida, ou o conjunto de uma ou mais técnicas que vai me recordar disso, e manter a chama dessa recordação acesa.

Nessa terra de esquecimento é preciso se lembrar de manter essa chama acesa.

Meditamos para manter a mente tranquila, e também para aceitar suas oscilações, e aprender a domá-las e, diante de nossa própria experiência, encaminhar nossos pensamentos a uma frequência segura.

Meditamos para nos tornarmos mestres de nós mesmos. Meditamos para nos conectarmos ao silêncio e também à sinfonia do universo. Por isso a música e o som são reconhecidos como valiosos instrumentos de cura, tendo em vista seu poder notável de harmonizar e centrar nossos sentidos.

Meditamos para lembrarmos de nossa verdade, a de que somos parte da natureza, e de que temos todos os elementos dentro de nós. Quando essa consciência estiver puramente fortalecida em nosso interior, não teremos mais a necessidade de julgar, discernir, questionar excessivamente ou de criar separação.

Seremos pessoas criadoras de união, facilitadoras da paz e da harmonia. Talvez você já seja, mas ainda não está plenamente consciente. Talvez você já tenha essa consciência. Independentemente disso, a vida pede para que continuemos meditando e nos aprofundando nesse caminho que é interior. 

É importante reafirmar que nossa real natureza e essência é alegria, paz e harmonia. É sentir amor por todos os Seres. É sentir entusiasmo em viver, e vontade de vivenciar o novo. É amar sem medidas. É simplesmente Ser, sem receios ou medos. Se não sentimos essa conexão natural, está tudo certo, já que nesse mundo de oscilações e mudanças ainda há muita violência e tristeza. Mas cabe a nós nos conhecermos e realizarmos aquilo que nos ajudará a nos reconectarmos com nossa real essência e com a natureza. Para isso, a meditação é a chave para embelezarmos nosso interior e sentirmos toda a paz que já está aqui dentro. 

O carro chefe das técnicas de meditação é a respiração consciente e aprofundada.

Os exercícios corporais, tais como as posturas de Yoga ou até mesmo a dança, podem nos ajudar a integrar respiração ao pensamento calmo e lúcido.

As viagens podem nos ajudar a lidar com nossas dificuldades e medos, e também a perceber o poder de atração do nosso pensamento em relação ao campo de infinitas possibilidades do universo.

As rodas, cursos, encontros, meditações coletivas e vivências terapêuticas podem nos auxiliar a nos sentirmos menos solitários e mais conectados a uma família universal de irmãos de caminhada.

O silêncio pode ser a trilha sonora de nossa casa interior. Dentro de um turbilhão de acontecimentos e de pensamentos, há um templo interno silencioso e repleto de harmonia.

Por isso, a meditação pode – e deve – ser adotada como uma prática individual, e também vista como um estilo de vida de quem se dispôs a despertar para a Nova Consciência. E contribuir para a cocriação de uma Era de mudanças.

Lembrando sempre das gerações que estão por vir.

Lembrando sempre de que as possibilidades neste universo são infinitas.

Lembrando sempre que o Sol nasce todos os dias nos chamando para o recomeçar.

Sem esquecer da fé, a sabedoria e do amor, para alcançarmos a paz perene.

Namastê

“Quanto mais eu me conheço, mais a vida não tem preço. Descobri meu endereço, é meu Eu, eu reconheço.” (Vinicius Rocha)

Deixe uma resposta